07/06/2010

A poesia macabra no Silêncio Interrompido (parte I)


Estive em Goiana neste último sábado para conferir tudo de mais um recital organizado pelo pessoal do movimento Silêncio Interrompido e me impressionei mais uma vez. Dá gosto ver que a cada evento tudo fica mais amplo e a qualidade aumenta, bem como tem atingido outras pessoas. Isso ficava claro quando víamos o tanto de novas caras tínhamos por lá.

Realizado geralmente em praças e locais abertos, esta foi a primeira vez que tivemos um recital num local fechado (mesmo assim, a entrada foi franca). Tivemos exibição de curtas-metragens num primeiro momento; após isso veio o recital, que foi aberto com a espetacular performance dos poetas Philippe Wollney e Ademauro Coutinho (ambos de Goiana), recitando uma extensa poesia (da qual falaremos em breve) e dramatizando a celebração do enterro de uma televisão, simbolizando a aversão à mídia sensacionalista de nossa atualidade. Por fim, o grupo R.V.A. - Rapaziada voz Ativa (também Goianense) deixou o seu recado com maestria.
Neste post damos um panorama geral: o evento teve um saldo excelente no que tange à qualidade. Talvez um público maior ajudasse um pouco mais, mesmo reconhecendo que o número de pessoas era relativamente grande. Tivemos a presença ilustre de figurinhas carimbadas do cenário da literatura alternativa pernambucana, os poetas Lara e Malungo (fotos 2 e 3, respectivamente). A impressão dos que presenciaram tudo foi muito boa, deixando um grande gostinho de quero mais. Amanhã continuo mostrando mais do que rolou. Sintam-se à vontade para comentar.

Fotos: acervo pessoal.

10 pitacos:

Cara, como é que atividades culturais desse porte acontecem na minha cidade e eu perco? Vou ficar mais atenta. Gostei do post, vou esperar a sequência.

Bjos

http://alma-feminina.blogspot.com/

Oie ^^

Obrigada pelo comentário sincero. O texto ficou meio verde mesmo, mas é o medo de "construir" demais e o texto ficar grande a galera não ler.

As múmias sabe? Falam pouco pq lêem pouco. Quase um reflexo do que se vê.

Eu acho importante estes movimentos culturais independentes, são um grito quase sufocado contra a opressão da escolha da maioria.

:) abraços.

Niemi.

Sério Érica? Moras em Goiana? Realmente não t vi lá não... :(

Poxa cara que legal saber que por ai as pessoas se interessam por esse tipo de evento...aqui no rj é tão dificil encontrar....muito bom seu blog viu, to seguindo...

abraço

muito bacana o post, e se a plateia gostou do poema, isso ja é um bom sinal claro.

viu, são atitudes e grupos como esse que precisamos muito, aqui em fortaleza tem de nascer algo dessa amplitude

venho mais uma vez aqui deixar meus agradecimentos a esse cronista da cena independente na zona da mata. e pessoal, pra quem ainda não conhece o Silêncio Interrompido dá uma passadinha lá no blog: http://silencio-interrompido.blogspot.com . acrescento que quem estiver afim de participar dos recitais do Silêncio Interrompido tanto pra assistir ou para recitar me procura ou procura o próprio shirukaya que ele me passa o contato. e o próximo fazemos onde??? rsrsrs
abraços

Cara, achei muito legal vc usar o espaço do blog, para fala de outros blogs!

Pois, é, só que exatamente não se trata de outro blog, e sim de um movimento. Favor procurar mais informações.

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More