01/06/2010

A importância da verossimilhança (parte II)

Lewis Carroll fez história com sua obra-prima, Alice no país das maravilhas (1864). Também podemos dizer que fez escola, haja vista a quantidade de versões tivemos da obra para diversos segmentos; a mais recente feita por Tim Burton. O motivo desta popularidade toda se deve, entre outras coisas, ao uso do nonsense em toda a aventura da protagonista. Na discussão anterior sobre verossimilhança, alguns comentaristas de plantão tocaram num ponto flagrante: o fantástico, o surreal, e/ ou insólito, esteticamente falando, faz da inverossimilhança sua raison d'être. Vejamos na obra supracitada, por exemplo, como o seu sentido é construído a partir de elementos destoantes, que se chocam constantemente e rompem com com toda e qualquer lógica, seja interna ou não. Eis, então, um belo (e até certo ponto didático) exemplo de que nem sempre ser verossímil garante a qualidade estética necessária para que a beleza da obra nos salte aos olhos. Próximo post da série conversaremos sobre o fantástico, já que este tende a ser um pouco mais complicado de explicar. E, como sempre estamos aqui ouvindo (ou seria lendo?) as ponderações que chegarem.

19 pitacos:

Verdade, adorei os posts li o I e o II.
Não tenho muito o que dizer, você escreve muito bem.
Bacana o blog.
beeeijoos http://yankavaz.blogspot.com/

eu confesso também que fiquei confusa rs... mas tudo bem estamos aí assumindo a santa ignorância da leitora :( gostei do seu blog, apesar desse texto não ter sido compreendido por meus neurônios, vou te seguir ... se quiser me seguir também, fazer parceria de links me visite e deixe um recado oks ?

http://arathane.blogspot.com/

O realismo fantástico me atrai e muito, com certeza irei ler o seu próximo post!

Quem será o representante q tomarei de exemplo para o realismo fantástico?
Aguardem! ^^

realmente, alice no país das maravilhas é uma das melhores histórias. o decorrer da história é totalmente surreal, e dentro de toda essa subjetividade, as lições de vida, as críticas e as ironias que o autor faz perante à sociedade são de impressionar.

http://anpulheta.blogspot.com

Assim como Arathane, não entendir camofas do que vc disse...Porém, gostei, talvez isso faça algum sentido. Continuarei passando por aqui.

http://devaneiosemergentes.blogspot.com/

Ora, caras amnigas, falamos apenas de tirar sentido do q nção tm sentido algum, como se faz comumente em obras como Alice. Qrem outro exemplo bem conhecido de nonsense? Bob Esponja! \o/

Para qm está acompanhando a série é bom pegar bm estes elementos de q falamos, pois nos próximos a coisa tende a ficar mais doida ainda! ;P

segundo o dicionario verossimilhança eh o atributo daquilo que parece intuitivamente verdadeiro... nunk tinha ouvido essa palavras =/



xD

Eu fiquei bem confusa,
mais adorei o blog,
e os posts,
vou ler novamente para conseguir entender !
(:

mas o que acontece é que cada caso é o caso, por ser o Tim já um pop strar, fez muito barulho por nada,a releitura não ficou nada legal, não trouxe nada de extraordinário a obra, o que alguns conseguem fazer

Pois é, ainda bm q o Carrol viveu lá lonj (mil oitocentos e tarará. Nada contra o Burton, mas enfim... A Alice dele não foi tão bm feita assim.

O criativo, o irreal atrai olhares. O meu inclusive.

beijo
(parabens pelo seu notável conhecimento sobre o assunto)

Adorei o post!. Alice é daqueles livros que quando se le quando pequeno e quando se le mais velho tem-se interpretações diferentes, pelo menos foi meu caso. Isso é mágico! A cada lida se tem mundo diferentemente alpliados que se alteram com a maturidade da pessoa! Foi muito bom encontrar seu blog! Adorei sua forma de escrever, enfim... Voltarei para o próximo, certamente.

Flaemmchen

Não sei se minha parte 'ignorante' fala mais alto nessas horas, mas eu, sinceramente, prefiro as obras originais!

Ah as coisas já são tão banais.
As vezes fico pensando por que sonharmos ou inventarmos algo verossimil.
Os sonhos existem para podermos vivver o que n vivemos aqui em terra.
Então por que seguirmos um padrão e prendermos nossos sonhos a realidade,são sonhos e não realidade.
Carroll e Burton,são dois sonhadores,sem duvida.

Todo tipo de obra famosa influencia muitas outras, e isso é bom. Alice no país das maravilhas se destaca exatamente por ser uma obra diferente, surreal, mágica. E escrever algo com essas características faz com que o autor se envolva nos acontecimentos, tornando o livro ainda melhor. Influenciou e vai continuar influenciando muitas outras obras.

www.ratobebado.blogspot.com

O blog é muito bom...
Em relação à verossimilhança, o "quase real" me atria muito, ver a vida real nas telas e nos livros é fantásticos. Mas nada melhor q o fantástico, o magnífico. Isso me encanta.
Por isso que gosto do Tim Burton.
Vlw

Alice é um livro e um filme que tem muito a dizer!
Não gostei muito da versão dom Tim burto, acho até que ele estragou um pouco a história, porque no filme ela não é tão questionadora e curiosa que nem nos livros.

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More